domingo, 7 de junho de 2009

RELATÓRIO N°. 04Oficina 06 – unidade 12 TP3.

No dia 04 de julho de 2009,na E.E.Pe. José Gonçalves de Souza, às 08h, teve início mais um encontro do GESTAR II em Felixlândia.

Como de costume, fizemos juntos um momento inicial de reflexão.Em virtude do clima junino (embora seja julho), eu e a formadora de Matemática escolhemos o texto “ A Pipoca” de Rubem Alves.Fiz a leitura expressiva do texto como convém a um professor de Língua Portuguesa. Terminada a leitura, fizemos uma bonita reflexão sobre nossa prática pedagógica e a necessidade de transformá – la, considerando, metaforicamente, o GESTAR como o fogo novo que transforma o milho mirrado em pipoca..Foi um momento precioso onde todos reconheceram a necessidade de rever velhos conceitos para não terminarem como “ piruás”.

O ambiente em que nos reunimos estava decorado a caráter. Estamos recebendo apoio dos colegas: a professora de Arte, Viviane Márcia , confeccionou um bonito painel e Marli Vieira decorou o Quiosque com bandeirinhas coloridas.Ficou um luxo!
Sem falar no lanche preparado pelas cantineiras Piedade e Maria Geralda, sob a coordenação da Bete Borba , fruto da generosidade da diretora Carmem .( Obrigada, pela parceria!).

Num segundo momento, fomos para a sala de aula. Organizados em semicírculo,falamos da inter- relação entre gêneros e tipos textuais, baseados nos seguintes textos: Soneto (Luís de Camões, Lírica. Cit., p.123); Primeira Epístola de São Paulo aos Coríntios 13.1,2,3. (Bíblia Sagrada); Monte Castelo (Legião Urbana, CD “As Quatro Estações”,1989).

Contextualizamos os textos após a leitura /audição dos mesmos.Falamos do Renascimento, destacando a transição do Classicismo para o Barroco. Comentamos sobre o “gênero epistolar”, considerando – o como um domínio discursivo que comporta vários textos do Gênero. Ouvimos e cantamos a música Monte Castelo. Comentamos sobre o contexto cultural em que a música foi composta e percebemos que o significado de um vocábulo está sempre atrelado ao seu contexto de uso.Observamos também que a oralidade e escrita se entrelaçam na produção de uma canção, considerando que a melodia acrescenta características peculiares a um poema.

Exploramos aspectos como: intencionalidade, contexto discursivo, público – alvo, mobilidade dos gêneros, sequências tipológicas, plano composicional, estilo, domínio discursivo, etc.

Socializamos as experiências da sala de aula,apresentando os relatórios do Avançando na Prática.. Esse foi ,sem dúvida, o momento mais fecundo. As experiências compartilhadas nos fortalece e aponta caminhos.As dificuldades, muitas vezes, se identificam e buscamos soluções coletivas ou aprendemos com a experiência do colega.Todos queriam relatar suas dificuldades e seus acertos e assim foi feito.A atividade mais comentada foi a descrição de um objeto (jogo realizado em dois grupos), envolvendo oralidade e escrita.Essa atividade é animada, mas os alunos fazem barulho vibrando com os acertos.Alguns professores estavam preocupados com o fato, pois o silêncio é considerado um valor na escola.Conversamos e relativizamos esse valor, o que deixou os professores encorajados a ousar.Outra atividade testada foi a transposição de gêneros textuais, onde, partindo de um receita convencional, os alunos produziram receitas como: Receita de homem ideal, receita de felicidade, receita de um relacionamento feliz, etc.

Neste ponto, voltamos ao Quiosque para o “ lanche junino”.Os responsáveis pela música ao vivo não puderam comparecer, mas os cursistas garantiram a animação ouvindo e cantando modas sertanejas.Distribuímos a mensagem “ Pessoas são como Música”e retornamos ao trabalho.

Trabalhamos com o Texto de Jô Soares “Composição: o salário mínimo.”Através das atividades propostas, sistematizamos nossos conhecimentos sobre gêneros e tipos textuais.

Para subsidiar o nosso próximo encontro, exibimos o filme “Narradores de Javé”, no Data Show, enquanto os cursistas comiam pipoca.. Entregamos um roteiro para análise do filme, que deverá ser apresentado no próximo encontro. Entregamos também um roteiro para avaliação da oficina. Deixamos alguns questionamentos que direcionarão as reflexões da próxima oficina.

Com um pequeno atraso, encerramos a oficina às 12h 30min.Todos estávamos felizes.Ninguém reclamou. Que bom!



Relatórios Técnico - Reflexivos
RELATÓRIO N°.02(referente à oficina 05 da TP3)

Aconteceu no dia 20 de junho de 2009 a terceira oficina do GESTAR II em FELIXLÂNDIA – MG. Como havíamos previsto, o encontro começou às 08h. Os cursistas de Língua Portuguesa e Matemática, juntamente com as formadoras, reuniram – se na pracinha de convívio da escola para a reflexão inicial. Eu, Bernadete, li uma mensagem intitulada: A ESTRELA VERDE . Fizemos uma reflexão sobre a necessidade de cultivarmos a esperança mesmo nos momentos mais desafiantes de nossa prática pedagógica. Muitos cursistas comentaram a importância de levarmos mensagens para a sala de aula, com o objetivo de criarmos um clima favorável à aprendizagem. Foi distribuído um cartão com uma estrela verde para os presentes.Nele estava um pensamento do grande educador RUBEM ALVES falando da nossa esperança de educadores.Juntos, rezamos o Pai – Nosso.

Nesse ponto, cada formadora dirigiu - se com seus respectivos cursistas para as salas destinadas à realização das atividades do dia. Tendo como referência o Texto de Marcuschi :”Gêneros Textuais:definições e funcionalidade”, fizemos um comentário inicial, qual pano de fundo para o relato das experiências.Os cursistas estão entusiasmados com as leituras e descobertas sobre Gêneros e Tipos Textuais.Comentaram sobre o conceito de texto e discurso e concluíram que é necessário contextualizar os textos para fazermos uma melhor classificação de seu gênero, já que isso não é algo estático e envolve vários fatores como intencionalidade discursiva, características formais e até mesmo a análise do suporte textual. Foi um momento interativo e esclarecedor.
O relato das experiências foi além de minha expectativa. É certo que nem todos têm a mesma desenvoltura, mas tivemos oficinas ótimas: bem preparadas, bem implementadas e, consequentemente, bem sucedidas.A oficina mais escolhida foi a de BIOGRAFIA, tendo como referência básica a biografia de Carlos Drummond de Andrade. Alguns professores fizeram um trabalho interessante, levando os alunos para a Biblioteca e pesquisando biografia de escritores famosos. No final, os alunos escreveram suas próprias biografias, em 3°. Pessoa. Percebe - se que alguns alunos misturaram as pessoas do discurso; sugeri que os cursistas pedissem uma reescrita após esclarecerem os equívocos cometidos pelos alunos. Por outro lado, há textos muito bons. Os cursistas aplicaram também a oficina que sugeria textos do suporte Jornal, onde os alunos recortaram textos de diferentes gêneros. Uma professora, que leciona no meio rural, aplicou a oficina que sugeria um jogo dando várias definições ao termo TRABALHO. Embora com poucos cursistas (hoje eram 11), tivemos relatos diversificados e ricos. Somente uma cursista relatou dificuldades que, entendo, foram devidas a inadequação da oficina escolhida para uma turma de 7°. Ano.

A oficina realizada neste encontro foi muito proveitosa. Formamos três grupos e todos escolheram trabalhar com o texto de Manuel Bandeira. Sugestões criativas foram apresentadas pelos três grupos. Registramos com fotos os melhores momentos e cada um arquivou no PORTFÓLIO o seu relatório e alguns trabalhos dos seus alunos.

Houve um momento de avaliação e todos acharam que o encontro foi positivo, inclusive eu. Sugeriram que os encontros não fossem todos realizados no mesmo local e estou estudando a possibilidade de atendê-los, já que temos recebido todo o apoio da diretora da E.E.Pe. José Gonçalves de Souza, inclusive um big lanche em cada encontro. Aqui , abro um parêntese para agadecê –la : (Obrigada, Carmem! ).

Seguindo o planejamento, comentamos sobre a próxima oficina. Para início de conversa, distribuímos várias gravuras para cada grupo pedindo que fizessem uma leitura relacionando – as . Fizemos a pergunta : O que você considera uma leitura ativa? A partir desse questionamento, refletimos sobre a inter – relação entre leitura e produção de textos e também sobre a inter – relação entre gêneros e tipos textuais. Falamos de domínio discursivo, da multiplicidade de leituras que um texto não verbal comporta, dentre outros.

Para encerrar, reunimos novamente com os cursistas de Matemática. Li o texto VESTIDO AZUL (de maneira bem expressiva, como Tamar ensinou.) , refletimos sobre a nossa responsabilidade de mudar o ambiente onde atuamos como docentes. Cada um recebeu um cartão com um vestido azul e se comprometeu com a nossa proposta de uma escola renovada.

Não posso esquecer de relatar que alguns professores estão interessadíssimos em criar Blogs para eles e seus alunos. No horário de plantão, já agendei atendimento para uma cursista e seus alunos do 9°. Ano que estão querendo aprender a criar blogs a fim de desenvolverem um projeto. Eles são de uma escola da rede municipal e usarão o laboratório de informática da E.E. Pe. José G. de Souza. Ah! Esqueci de relatar que às 10h paramos 20min para o lanche que, como sempre, estava uma delícia.

Ás 12h 15min enceramos o encontro.Estou com uma gostosa sensação de dever cumprido! Dia 04 tem mais!

Relatórios das Oficinas Introdutórias 01 e 02
Realizaram - se com sucesso as duas primeiras oficinas do Gestar II em Felixlândia – MG.(30/05/2009 – de 08h às 12h e das 13h às 17h)

Após liberação da SRE de Curvelo(Superintendência Regional de Ensino a qual estamos vinculados), intensificamos os estudos e os preparativos para o lançamento do Programa.

Formou – se uma parceria com o município, devido ao número insuficiente de cursistas na rede estadual.Recebemos o apoio da secretária municipal de educação e das coordenadoras regionais, bem como das diretoras envolvidas,destacando o empenho da diretora Carmem Borba.

Professoras – formadoras de Língua portuguesa e Matemática trabalharam em parceria.

A Aula Inaugural, como foi chamado o primeiro encontro, aconteceu no dia 30 de maio de 2009, no Centro Comunitário de Felixlândia,com a participação de cursistas,comunidade escolar ( pais e professores), prefeito municipal, secretária de educação, superintendente regional de ensino, coordenadoras regionais do GESTAR II.

A cerimônia cívico-educacional teve início com a execução do Hino Nacional Brasileiro.Em seguida, apresentou- se os cursistas para a comunidade presente. Uma mensagem que mesclava linguagem verbal e não verbal foi exibida no data show : as borboletas. Fez -se uma bonita reflexão coordenada pelas formadoras.Coordenadoras e professoras – formadoras (Português e Matemática)apresentaram o Programa e as ementas de cada disciplina. O material foi apresentado,bem como o cronograma dos próximos encontros.Autoridades e professores falaram agradecendo e/ou buscando sanar algumas dúvidas.

No final foi servido um café, oferecido pela Prefeitura Municipal .

Na minha avaliação e na avaliação dos participantes, o encontro foi bastante proveitoso e cumpriu os objetivos de informar a comunidade escolar sobre o GESTAR II e despertar nos cursistas o entusiasmo pelo mesmo.

Com duração de 4h, o evento teve início às 8h da manhã e término às 12h.

Conforme o programa, os cursistas compareceram às 13h, na E.E. Pe. José Gonçalves de Souza para a primeira oficina.Esta teve inicialmente um momento em comum, onde os cursistas de Língua Portuguesa e Matemática participaram de uma dinâmica de apresentação. Após essa dinâmica, cada formadora coordenou os trabalhos de suas disciplinas em salas separadas. O material foi entregue e comentado.Fez - se o estudo do Guia Geral e as explicações necessárias sobre o desenrolar do GESTAR II.

Houve uma pausa para um lanche oferecido pela escola,onde os professores conversaram sobre suas expectativas a respeito do GESTAR II. Ao retornarem, aconteceu a oficina dos ENVELOPES DE LINGUAGENS. Pôde-se perceber que os cursistas não tinham um conceito bem definido sobre Gêneros Textuais e Tipologia Textual, porém todos os grupos expuseram suas conclusões com interesse e curiosidade.No final, eu , como formadora de Língua Portuguesa, e tendo feito um estudo prévio, fiz um comentário geral sobre o trabalho falando da importância do estudo dos gêneros textuais para o professor de Língua Portuguesa, uma vez que constitui ferramenta indispensável para direcionar o trabalho de leitura, compreensão e produção de textos.Falei também da intertextualidade intergêneros defendida por Marcuschi e da heterogeneidade tipológica citada pelo mesmo.Os professores ficaram interessados.

Foi proposto o estudo das unidades 9 e10 da TP3,bem como estudos complementares sobre o assunto na Bibliografia Complementar ou na Internet,buscando no GOOGLE (MARCUSCHI).
Todos receberam as instruções necessárias para desenvolver o trabalho com seus alunos.

Novamente unidos com a turma de Matemática, cada cursista elaborou de forma criativa a primeira folha de seu PORTfÓLIO, usando recortes e/ou desenhos.

A SRE de Curvelo pediu que cada cursista fizesse o portfólio em pastas, mas isso não exclui a possibilidade de os interessados fazê – lo via blog, como estou orientando,pois percebo que essa é mais uma oportunidade de crescimento pessoal e relacional.

Para encerar entregamos a cada cursista um mini-kit do educador moderno, relacionando os materiais com o perfil do bom educador.Fizemos um rápido momento de avaliação e tivemos um retorno bastante positivo.O encontro foi considerado ótimo.

Encontra- se neste blog a lista com os nomes das cursistas. São 16, sendo apenas 4 da rede estadual.Na aula inaugural, 12 estavam presentes.Na oficina da tarde (de 13h às 17h), 11 estavam presentes. Alguns justificaram as ausências e quase todos já procuram orientações e pegaram o material de estudo, comprometendo - se a participar das próximas oficinas.

Particularmente eu estou feliz com o desenrolar dos trabalhos. Estou estudando muito e já corrigi alguns equívocos de minha prática. (BERNADETE MÔNICA).

Um comentário:

  1. Esse relatório ficou muito bom.

    Continue nessa linha e pode colocar bastante fotos dos seus cursistas em ação. Quando for visitá-los também fotografe suas atividades e traga para nós vermos os trabalhos em cada instância.

    Um grande abraço

    tamar

    ResponderExcluir