domingo, 12 de abril de 2009

Saudades de Montes Claros

Participar do GESTAR II em Montes Claros foi muito bom! ( Abro parênteses para agradecer a todos que trabalharam para a realização desse encontro, tão necessário para iniciar uma nova página na História da Educação ).

Socializamos saberes, ansiedades, sonhos, e todos saímos ganhando.

Foi um período quente, literalmente. Mas o calor(humano!) consequência da grande proximidade física trouxe alegrias , criou laços e deixou Saudades.

"O bom que foi a gente não esquece!..."

Ainda não comecei a socializar essas experiências por aqui (SRE - Curvelo ). O material ainda não chegou em todas as escolas. Estou ansiosa para reunir o pessoal , e já posso antever as mudanças!...

Estou preparando tudo com muito cuidado e, se Deus quiser, nossos encontros regionais terão SUCESSO!

Poema: MILAGRE

(Bernadete Valadares)

É urgente "costurar "as diferenças
Construindo a unidade.
É urgente globalizar
A solidariedade.

Crise cultural?...
Crise de identidade?...

As referências
Os paradigmas
Estão em declínio
Na Pós -Modernidade.

Urge uma postura coerente
Ousada
Transparente
O homem, sem divisão de gênero,
Busca o encontro
Examina "verdades"
Perde - se numa multiplicidade cambiante
De possíveis identidades.

A sociedade muda seus parâmetros
À revelia do sujeito
Utopias e sonhos latentes
São tornados sem efeito.

Vale o risco
Vale o sonho
Vale o lúdico
Porém, os encontros
Precisam ser lúcidos.

É preciso educar o olhar
Ter alma e coração disponíveis
Conjugar o verbo amar
Com os olhos nos olhos
Em todos os tempos e
Contratempos possíveis.

Vivamos a epifania:
Ternura
Cuidado
Encantamento
Sinergia...

Vamos beber o vinho novo
Partilhar novos saberes
Experimentar novos sabores
Num gesto de ousadia...

"O Verbo se fez carne"
No seio da criação
A metamorfose divina
Preencheu os espaços
Disponíveis à solidão.

Estado de ÊXTASE!...

Nova aliança de PAZ é firmada
A humanidade agradece
E celebra
De mãos dadas...

O Criador ainda perplexo
Acolhe num grande amplexo
Essa grande maravilha:

É a Festa da Unidade
No MILAGRE da Partilha!...

Memorial de Leitor

É pela leitura que viajo por espaços inusitados e travo diálogos interessantes com um passado que se faz presente pelo milagre dos textos!...

As palavras têm força e poder. São capazes de seduzir. As palavras escritas ficam encantadas nos livros,mas a varinha mágica da leitura despertam -nas . Aí ,elas ganham um significado único, despertam desejos, provocam emoções, criam ciladas...

Descobri isso muito cedo e me apaixonei pelas palavras escritas.Adoro ler!

Morava ainda na "roça" quando ganhei de meu pai um livro enorme , de capa dura, cuja cor predominante era um amarelo forte (Adoro amarelo!) e a ilustração, um boneco narigudo feito de madeira. Um letreiro imitando peças de madeira, encaixadas umas nas outras, dava forma ao título: PINOCCHIO.Minha mãe gastou muitas "noites" para lê- lo em voz alta.Como ouvinte atenta, apaixonei- me pelo boneco que virou menino. Aprendi a ler e li o livro várias vezes. E até hoje eu acredito em milagre!...

Vários livros povoam o meu universo de leitora: São muitos livros infantis(fábulas, histórias de fadas,bruxas e duendes,histórias de bonecas,de meninos perdidos no bosque, do lobo...

Minha avó morava perto da biblioteca e eu fui, por muito tempo, assídua frequentadora desse espaço cultural.Li muito e ainda leio,embora não tenha mais tanto tempo para fazê - lo.

Meu memorial de leitora é diversificado: vai desde Grandes Sertões: Veredas de Guimarães Rosa até Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach. Adoro ler o jornal de manhã, catando manchetes e fotos. Assino sempre alguma revista. Atualmente tenho Época, Nova Escola e Superinteressante que, às vezes, leio apenas alguns artigos. Já li tantos livros que até perdi a conta e já reli vários ,pois a memória ,que era ótima, já mostra sinais de cansaço! Vou citar alguns:Incidente em Antares, Clarissa, Olhai os lírios do campo, Um certo capitão Rodrigo, Ana Terra - de Érico Verríssimo; Capitães da Areia, O Gato Malhado e a andorinha Sinhá - de Jorge Amado;Vidas secas, São Bernardo - de Graciliano Ramos; O Quinze - de Rachel de Queiroz; Corda Bamba, Angélica - de Lígia Bojunga Nunes; Os Miseráveis - de Victor Hugo; O Pequeno Príncipe - de Saint Exupery; Relações Perigosas - de Laclos; O Guarani - de José de Alencar; Os Sertões - de Euclides da Cunha; O grande Mentecapto - de Fernando Sabino;Saber Cuidar de Leonardo Boff; Uma idéia toda azul - de Marina colasanti; O nome da Rosa - de Humberto Eco; Ópera dos Mortos - de Autran Dourado;Carícia essencial - de Roberto Shinyashiki; Palavras Parábola - de RômuloCandido de Souza; O monge e o executivo - James C. HUnter; Olga - de Fernando Moraes, Elogio à cegueira - de José Saramago; O caçador de pipas( esqueci o autor); e vai por aí...

Adoro ler poemas, principalmente de Drummond, Mário Quintana, Vinícius de Moraes, Fernando Pessoa, Cecilia Meireles,Adélia Prado, Cora Coralina,e outros. Gosto de ler crônicas de Frei Beto, Fernando Brant, Affonso Romano de Sant'anna, etc.Gosto dos contos de Machado de Assis: A Cartomante e Uns Braços, principalmente.

Ler é preciso!
Eu leio sempre com os meus alunos e levo para a sala de aula os livros e as revistas que estou lendo.

Como o astrofísico Hubert Reeves, eu também acredito no "contágio dos comportamentos virtuosos." Citando Gonzaguinha:"Tudo podia ser bem melhor e será"...

Semeia e confia. Um dia , o milagre acontece!...

sábado, 11 de abril de 2009

Memorial Profissional

Memorial Profissional
Sou professora pós- graduada em Língua Portuguesa e leciono desde 1977.
Fazer memória da trajetória profissional não é voltar imediatamente a um tempo, mas resgatar pedaços de história que,com conquistas e dores,nos fizeram sonhar e ousar voos,vencendo as limitações a nós impostas pelas circunstâncias.

Considero-me uma pessoa iluminada,não por ter realizado todos os meus sonhos,mas principalmente por ter ajudado muitos a fazê - lo.

Ainda criança, estudei numa pequena sala com meu irmão e dois primos.Tínhamos uma professora particular que, mesmo não sendo habilitada para lecionar, se esforçava para fazer o melhor. E fez. Já no terceiro ano primário, mudamos para um sítio próximo à pequena Felixlândia.Eu e meu irmão caminhávamos diariamente 2Km para estudar no Grupo Escolar "Major Salvo".Estudei muito e lutei contra a minha timidez de 'menina da roça'.Foi grande a minha alegria ao ser escolhida oradora dos 'formandos' do 4°. ano!

Prestei exame de admissão no Ginásio Nossa Senhora da Piedade e comecei a 5.a série.Por decisão de meus pais, fui transferida para o Colégio Estadual "Pe. José Gonçalves de Souza" onde cursei toda a educação básica, formando-me em Magistério em 1976.

Prestei vestibular para Letras na FAFIC(hoje FACIC), na vizinha cidade de Curvelo.Fui aprovada em 3°. lugar.Comecei a estudar e lecionava Matemática e Educação Artística no Colégio Estadual para pagar minha faculdade.No ano seguinte, comecei a lecionar em minha área (Língua Portuguesa para o Ensino Médio), daí não parei mais.

Conclui o curso de Letras e,embora sonhasse continuar meus estudos, tive que abandoná-los formalmente por alguns anos.Dediquei-me à docência e aprendi muito.

Casei-me em 1981 e, cinco anos depois, com duas filhas pequenas, (uma delas com apenas 6 meses),voltei a estudar.Viajava todo final de semana para complementar meu curso em Passos- MG. Em 1988 cursei especialização em Língua Portuguesa na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Teófilo Otoni-MG.Com a pós graduação Lato Sensu passei a ocupar dois cargos efetivos de professora (36 aulas semanais!).

Conciliar família e profissão não foi fácil,mas foi possível.Hoje minha filha mais nova mora em Belo Horizonte, tem 16 anos e cursa o 3° ano do Ensino Médio.As mais velhas já cursaram,com brilho,Direito e Nutrição,respectivamente.São os mais valiosos troféus que conquistei na vida!

Continuo gostando de ler, de estudar, de ouvir boa música e de ficar,de vez em quando,refletindo sozinha e observando a beleza que emana do silêncio interior.

Recentemente, após afastamento preliminar para aposentadoria em um dos cargos,comecei a lecionar Língua Portuguesa na UNIPAC, Faculdade de Educação e Estudos Sociais -Unidade de Felixlândia.Foi aí que, no primeiro dia de aula, deixei no quadro de giz as palavras de Rubem Alves: "Estou semeando as sementes da minha mais alta esperança. Não busco discípulos para comunicar-lhe saberes. Busco discípulos para neles plantar minhas esperanças."

Alegrias,frustrações,desânimos indagações, buscas, ansiedade, são muitos dos sentimentos que temperam a trajetória do professor no dia a dia da sala de aula. Mas é comum não sentirmos as pedras do caminho quando as pisamos com amor!...

Minha carreira de docente não é algo excepcional (mas é muito especial).Tive erros e acertos e muitas vezes precisei mudar de foco para ter um outro ponto de vista. .O fragmento de meu poema, que mereceu destaque no 6° Concurso "LER É PRECISO"- do Instituto EcoFuturo,exemplifica isso:
"POR MUITOS ANOS
NUMA PRÁTICA EQUIVOCADA
ENSINEI GRAMÀTICA
PURA E DOGMÁTICA
ENSINEI SUJEITOS, PREDICADOS E OUTRAS REGRAS SINTÁTICAS.
HOJE TENHO UM NOVO OLHAR
CAPAZ DE CONJUGAR EM TODOS OS TEMPOS
E CONTRATEMPOS POSSÍVEIS
O VERBO AMAR."

Aceitei participar do GESTAR II e encontrei ambiente propício para o aprendizado e o crescimento. São muitas experiências, muitas histórias,muitas singularidades que formam um todo único. Aí me aflora um pensamento que carrego comigo, do qual não me lembro o autor: "Cada pessoa que encontro é melhor do que mim em um ponto. E nesse particular eu aprendo com ela".

É preciso admitir que, mesmo sem o reconhecimento de muitos,somos profissionais competentes e socialmente necessários.