sábado, 11 de abril de 2009

Memorial Profissional

Memorial Profissional
Sou professora pós- graduada em Língua Portuguesa e leciono desde 1977.
Fazer memória da trajetória profissional não é voltar imediatamente a um tempo, mas resgatar pedaços de história que,com conquistas e dores,nos fizeram sonhar e ousar voos,vencendo as limitações a nós impostas pelas circunstâncias.

Considero-me uma pessoa iluminada,não por ter realizado todos os meus sonhos,mas principalmente por ter ajudado muitos a fazê - lo.

Ainda criança, estudei numa pequena sala com meu irmão e dois primos.Tínhamos uma professora particular que, mesmo não sendo habilitada para lecionar, se esforçava para fazer o melhor. E fez. Já no terceiro ano primário, mudamos para um sítio próximo à pequena Felixlândia.Eu e meu irmão caminhávamos diariamente 2Km para estudar no Grupo Escolar "Major Salvo".Estudei muito e lutei contra a minha timidez de 'menina da roça'.Foi grande a minha alegria ao ser escolhida oradora dos 'formandos' do 4°. ano!

Prestei exame de admissão no Ginásio Nossa Senhora da Piedade e comecei a 5.a série.Por decisão de meus pais, fui transferida para o Colégio Estadual "Pe. José Gonçalves de Souza" onde cursei toda a educação básica, formando-me em Magistério em 1976.

Prestei vestibular para Letras na FAFIC(hoje FACIC), na vizinha cidade de Curvelo.Fui aprovada em 3°. lugar.Comecei a estudar e lecionava Matemática e Educação Artística no Colégio Estadual para pagar minha faculdade.No ano seguinte, comecei a lecionar em minha área (Língua Portuguesa para o Ensino Médio), daí não parei mais.

Conclui o curso de Letras e,embora sonhasse continuar meus estudos, tive que abandoná-los formalmente por alguns anos.Dediquei-me à docência e aprendi muito.

Casei-me em 1981 e, cinco anos depois, com duas filhas pequenas, (uma delas com apenas 6 meses),voltei a estudar.Viajava todo final de semana para complementar meu curso em Passos- MG. Em 1988 cursei especialização em Língua Portuguesa na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Teófilo Otoni-MG.Com a pós graduação Lato Sensu passei a ocupar dois cargos efetivos de professora (36 aulas semanais!).

Conciliar família e profissão não foi fácil,mas foi possível.Hoje minha filha mais nova mora em Belo Horizonte, tem 16 anos e cursa o 3° ano do Ensino Médio.As mais velhas já cursaram,com brilho,Direito e Nutrição,respectivamente.São os mais valiosos troféus que conquistei na vida!

Continuo gostando de ler, de estudar, de ouvir boa música e de ficar,de vez em quando,refletindo sozinha e observando a beleza que emana do silêncio interior.

Recentemente, após afastamento preliminar para aposentadoria em um dos cargos,comecei a lecionar Língua Portuguesa na UNIPAC, Faculdade de Educação e Estudos Sociais -Unidade de Felixlândia.Foi aí que, no primeiro dia de aula, deixei no quadro de giz as palavras de Rubem Alves: "Estou semeando as sementes da minha mais alta esperança. Não busco discípulos para comunicar-lhe saberes. Busco discípulos para neles plantar minhas esperanças."

Alegrias,frustrações,desânimos indagações, buscas, ansiedade, são muitos dos sentimentos que temperam a trajetória do professor no dia a dia da sala de aula. Mas é comum não sentirmos as pedras do caminho quando as pisamos com amor!...

Minha carreira de docente não é algo excepcional (mas é muito especial).Tive erros e acertos e muitas vezes precisei mudar de foco para ter um outro ponto de vista. .O fragmento de meu poema, que mereceu destaque no 6° Concurso "LER É PRECISO"- do Instituto EcoFuturo,exemplifica isso:
"POR MUITOS ANOS
NUMA PRÁTICA EQUIVOCADA
ENSINEI GRAMÀTICA
PURA E DOGMÁTICA
ENSINEI SUJEITOS, PREDICADOS E OUTRAS REGRAS SINTÁTICAS.
HOJE TENHO UM NOVO OLHAR
CAPAZ DE CONJUGAR EM TODOS OS TEMPOS
E CONTRATEMPOS POSSÍVEIS
O VERBO AMAR."

Aceitei participar do GESTAR II e encontrei ambiente propício para o aprendizado e o crescimento. São muitas experiências, muitas histórias,muitas singularidades que formam um todo único. Aí me aflora um pensamento que carrego comigo, do qual não me lembro o autor: "Cada pessoa que encontro é melhor do que mim em um ponto. E nesse particular eu aprendo com ela".

É preciso admitir que, mesmo sem o reconhecimento de muitos,somos profissionais competentes e socialmente necessários.

2 comentários:

  1. OI Bernadete,

    já sabia que era uma escritora, seu histórico só me ajuda a continuar no caminho que comecei há aluns anos, pois, faço minhas as palavras de Rubem Alves: é por acreditar no voo das aves é que ainda acreidito na esperança

    ResponderExcluir
  2. Oi Bernadete, falou que estava perdida heim?
    Já até criou seu blog.Parabéns...
    Me adicione ok?Link sumaragouveia.blogspot.com

    ResponderExcluir