domingo, 6 de março de 2011

Saudade

Neste domingo de Carnaval, quando cai uma chuvinha fina e insistente, bate uma certa melancolia que, segundo Mário Quintana é uma forma romântica de ficar triste...

Retrocedi no tempo e pude visualizar outros carnavais!...Bateu saudade, muita!!!

Mas a vida não se repete e nem permanece como antes! Ela segue seu curso e vai se atualizando num presente que nem sempre sabemos aproveitar!...

Foi aí que lembrei de meus poemas de adolescente, que estão guardados em um caderno amarelado pelo tempo!

Como a vida muda nossos conceitos! Outrora eu definia saudade de um jeito meio ingênuo, sentimental. Hoje, saudade é algo bom que faz parte de mim, é a minha própria história ( de lutas e de glórias!).

Só pra recordar, torno público o meu poema, escrito em uma tarde chuvosa de 1976, segundo consta numa nota ao lado do poema original...coincidentemente, era também domingo (17/10/1976). Não tinha computador, mas o título foi cuidadosamente desenhado...( nessa época, eu sonhava ser poeta! rsrsrs)

SAUDADE

Nesta vida assim tão cheia

Tudo é nada - ilusão

Como castelo de areia

Que desfaz no turbilhão



Passa a tristeza e a alegria

Também passa a decepção...

Passa a grande simpatia

Mas nem tudo passa em vão!...



Existe sempre a Saudade

Simulando a realidade

Com base no que passou...



Saudade é retromiragem

Reflete sempre a imagem

Daquilo que não ficou!

( Bernadete Valadares!










Nenhum comentário:

Postar um comentário